• Assoc. Pediátrica Viana

Pé plano


O que é?

O pé plano, também designado de “pé chato” define-se como a diminuição ou ausência de arcada plantar interna do pé, ou seja todo o pé fica em contacto com o chão quando a criança está levantada.



O arco plantar:

O arco plantar desenvolve-se no início da infância, sendo observável em média a partir dos 3/4 anos de idade. Antes dessa idade a presença do pé plano é normal e explicada pela gordura subcutânea, mais abundante na região plantar, que apaga a visualização desta arcada.


Quando deve ser estudado?

· Pé plano em idade superior a 3/4 anos;

· Quando se nota uma deformidade importante nos pés que condiciona instabilidade na marcha;

· Criança queixa-se de dor;

· Se a criança não consegue andar em “bicos de pé” então pode ter um tendão de Aquiles curto devendo ser avaliada por um ortopedista infantil.


Que tipos de pé plano existem?

· Pé plano flexível – quando a criança se põe em “bicos de pé” nota-se a presença de um arco plantar.

· Pé plano rígido – mesmo em ”bicos de pé” não existe arco plantar.


Tratamento

· Crianças com pé plano flexível assintomáticas e sem qualquer repercussão nas atividades do dia-a-dia não requerem qualquer tipo de intervenção ou vigilância.

· O pé plano deve ser encarado como um problema apenas se for rígido, doloroso ou muito pronunciado.

· Exercícios que permitam fortalecimento muscular como andar nas pontas dos pés e nos calcanhares, apanhar objetos com os dedos dos pés e andar descalço em terrenos irregulares (na areia da praia!) são muito importantes e ajudam na formação do arcada plantar.

· Crianças com pé plano doloroso deverão ser avaliadas em Ortopedia.

· O tratamento cirúrgico deve ser excecional e proposto apenas em crianças cujo tratamento conservador falhou ou com agravamento da deformidade.



Palmilhas e calçado ortopédico no tratamento?

· Ortóteses (palmilhas, calçado ortopédico…) não provaram ser capazes de influenciar a formação do arco da planta do pé.

· As clássicas “botas ortopédicas” são ineficazes e têm um efeito prejudicial, não só em termos psicológicos, mas principalmente porque impedem o normal desenvolvimento do pé.


Calçado:

O calçado da criança deve ser flexível, confortável e nunca demasiado justo. Os sapatos duros devem ser evitados, pois impedem o movimento normal do pé, que é essencial para o desenvolvimento da força muscular.

A sola não deve ser muito escorregadia nem demasiado aderente pois e uma fonte frequente de quedas.


Autores:

André Costa e Silva, Sandrina Martins; Serviço de Pediatria da ULSAM



100 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo