• Assoc. Pediátrica Viana

Dermatite atópica

Atualizado: 17 de Set de 2018




O que é?


A dermatite atópica (DA) ou eczema atópico é uma doença inflamatória crónica da pele, de aparecimento precoce. Nos últimos anos verificou-se um aumento da sua incidência. Na maioria das situações a doença tende a melhorar com a idade, mas pode manter-se durante toda a vida. Há uma predisposição genética e a probabilidade de aparecimento aumenta com o número de familiares diretos atingidos.


Como se manifesta?


As lesões típicas de fase aguda são avermelhadas, ásperas, associadas a comichão intensa e pele muito seca. Podem ser exsudativas e evoluir para crosta. Com o tempo, se a comichão se mantiver, a pele fica grossa, áspera e escurecida.

No primeiro ano de vida as lesões tendem a predominar na face mas podem atingir toda a superfície corporal, habitualmente poupa a região da fralda. Durante a segunda infância há um atingimento preferencial dos membros, mais nas dobras. A DA tem períodos de agravamento e melhoria.


Como se faz o diagnóstico?


Não existe nenhuma análise específica. O diagnóstico é clínico.


Como tratar?


O tratamento permite diminuir os sintomas, mas não cura a DA. É importante adotar medidas que protejam a pele, que reduzam a secura e que a mantenham saudável. O excesso de calor e as mudanças bruscas de temperatura podem ser fatores de agravamento e devem ser evitadas.


1. Eliminar fatores de agravamento

  • Utilizar roupas de algodão 

  • As roupas lavadas devem ser bem enxaguadas de modo a remover restos de detergente. Não utilizar amaciador de roupa 

  • Banho rápido, com água morna e com produtos de higiene para peles atópicas (inclusive o champô), sem fricção na lavagem nem na secagem 

  • Manter as unhas curtas e limpas 

  • Quartos bem arejados.

  • Evitar aquecedores ou uso excessivo de cobertores na cama

2. Hidratar a pele 

  • Aplicar hidratante frequentemente 

  • Hidratante com pH neutro, hipoalergénico e sem perfume ou outras substâncias que possam irritar a pele.

Deve consultar o médico:


Se as medidas adotadas (1 e 2) não controlam as lesões de DA.


De acordo com a avaliação médica, ponderar: 

  • Controlar comichão com anti-histamínico oral

  • Controlar inflamação cutânea com corticoides tópicos de baixa potência (SOS) 

  • Controlar a infeção cutânea com antibióticos tópicos ou sistémicos


Autora: Raquel Oliveira

227 visualizações
Contactos

Morada: Estr. de Santa Luzia 50, 4900-408 Viana do Castelo, Portugal

Email: associacaopediatricaviana@gmail.com

 

Telefone: 258802444