• Assoc. Pediátrica Viana

Cyberbullying - o meu agressor anda comigo no bolso


O QUE É O BULLYING? Será que sou Vítima? Ou Agressor?


O bullying entre crianças e adolescentes é um fenómeno antigo, e bem conhecido. A vítima de bullying é o alvo de acções negativas, intencionais e repetidas. Representa um desequilíbrio de poder, estando o agressor numa posição mais elevada a nível físico ou psicológico.


Acções negativas? Como assim?


O bullying pode ser:


FÍSICO

  • Bater, empurrar, pontapear, roubar

VERBAL

  • Insultar, gozar

INDIRECTO

  • Inventar e espalhar rumores, mentiras, exclusão social


Se és o alvo destas acções então podes ser vítima de bullying, ou se por outro lado és a origem destas acções então podes ser o agressor, e estar a ser o motivo de sofrimento de colegas teus. Mas não te esqueças: podes ser vítima e agressor ao mesmo tempo.


E agora o CYBERBULLYING, não é a mesma coisa?


É a manifestação digital do bullying : qualquer comportamento realizado através de meios digitais que, repetidamente, comunique mensagens hostis de forma a infligir dano ou desconforto. Possui algumas características diferentes:


  • Possível anonimato – na Internet ninguém sabe quem tu és

  • Pode ocorrer em qualquer lugar ou qualquer hora – desde que estejas online

  • Contacto cara-a-cara não é necessário – os danos causados não são visíveis através do ecrã


Na grande maioria dos casos, as vítimas de cyberbullying também são vítimas de bullying tradicional ou presencial.


Sou o único a quem isto acontece?


Estima-se que em Portugal 20-30% dos estudantes do Ensino Secundário já tenham sido vítimas de cyberbullying, e que a maioria já tenha testemunhado este tipo de episódios.


RESPOSTA: o que posso fazer?


Reflecte sobre os teus próprios comportamentos, não faças parte do problema – faz parte da solução

  • Se és vítima de bullying, não sejas tu próprio/a agressor/a de outro colega

Fala com os teus Pais e com os teus Professores

  • É essencial que mantenhas uma relação de confiança com os teus Pais, para que sejam informados do problema activo, e sejam envolvidos na resposta

➔ Os agressores identificados devem ser sujeitos a medidas disciplinares

  • Contudo é preferível que estes problemas sejam resolvidos informalmente e com a máxima descrição possível

➔ A tua Escola pode implementar software de site blocking; content monitoring; intelligent content analysis

  • A supervisão online levada a cabo pela Escola torna-se importante ao nível da prevenção, detecção e dissuasão, já que os agressores têm consciência que provavelmente serão identificados e alvo de consequências


O que pode ser feito para PREVENÇÃO?


Sempre através de uma estratégia conjunta entre os Professores, os Pais, os Estudantes e os diversos elementos da comunidade:


  • Avaliar a prevalência e o impacto para que os recursos possam ser canalizados nos grupos que estão em maior risco, por exemplo podes organizar com os teus colegas inquéritos anónimos, não só aos estudantes e encarregados de educação, como também aos restantes profissionais das escolas.

  • Formação relativa ao cyberbullying – contrastando com a geração da qual tu e os teus colegas fazem parte - os nativos digitais, é necessário oferecer formação nesta área à geração imigrante digital, para que obtenham as ferramentas necessárias de modo a fazer parte da discussão.

  • É essencial envolver os teus colegas na discussão deste problema, dinamizar a comunidade escolar e fazer deste um tema corrente.


No cyberbullying a vítima está exposta em qualquer lugar, a qualquer hora.
A maioria dos estudantes no ensino secundário já foram vítimas ou já testemunharam incidentes deste tipo.
Uma relação de confiança entre ti e os teus Pais é essencial para a prevenção e resposta ao cyberbullying.

Autores: Pedro Marinho , Mariana Costa

Serviço de Pediatria da ULSAM


0 visualização
Contactos

Morada: Estr. de Santa Luzia 50, 4900-408 Viana do Castelo, Portugal

Email: associacaopediatricaviana@gmail.com

 

Telefone: 258802444